sexta-feira, 25 de setembro de 2015

Explorando o Lado Sombrio: A Jornada do Anti-Herói

 O artigo de hoje, do site Writers Store, foi escrito pelo autor James Bonnet:
james-bonnet
Você, sem dúvida, já ouviu falar da Jornada do Herói. Neste artigo, nós vamos explorar a jornada menos conhecida do Anti-herói e o inexplorado lado sombrio da passagem – o lugar onde as forças das trevas vivem e planejam seus esquemas nefastos. Na vida real, é gente como Hitler, Jack, o Estripador e Saddam Hussein, que personificam estas forças das trevas. Nas histórias, são grandes vilões como Voldemort, Hannibal Lecter, Darth Vader e Satanás, que encarnam o lado sombrio.
Harrison Ford, como Indiana Jones, Jodie Foster, em O Silêncio dos Inocentes, e Sigourney Weaver, em Alien, são heróis. Suas ações são motivadas e influenciadas por uma natureza superior. Macbeth, Scarlett O’Hara, e Michael Douglas, em Wall Street, são anti-heróis. Suas ações são motivadas por uma natureza inferior, primordial.

A natureza superior liga o herói às energias criativas que procuram superar os estados negativos e alcançar os estados superiores de ser. Isso inspira-o a aproveitar o dia, a ser criativo e virtuoso, corajoso e justo. É uma fonte de grande poder, e motiva o herói a fazer sacrifícios e realizar grandes coisas.
A natureza inferior liga o anti-herói ao lado físico e animal de sua natureza. É um eu mundano, que busca as coisas terrenas. Escondidas na matriz de suas energias sedutoras estão a libido e o id – a fonte de nossos mais básicos instintos, apetites e impulsos, aqueles que controlam a fome, o sexo e a agressividade. Eles competem com a natureza superior pela influência sobre o herói e o anti-herói, e eles são os principais opositores a toda mudança positiva.

A marca dos heróis é o sacrifício pessoal. Eles personificam o lado positivo e altruísta do ego, e suas jornadas revelam o lado positivo da passagem. O modus operandi dos anti-heróis é o ato anti-social. Eles personificam o lado negativo e egoísta do ego, o lado que deu à palavra ‘ego’ um mau nome, e suas jornadas revelam o lado sombrio ou inferior do ciclo.

Vilões tornam-se anti-heróis quando a história é sobre eles; quando nós vemos o processo que eles passam para tornarem-se vilões. Essa é a única diferença. Ambos são motivados pelos mesmos impulsos mais baixos da personalidade. Darth Vader é um vilão na parte IV de Guerra Nas Estrelas, mas, sem dúvida, será o personagem central e um anti-herói na Parte III, quando ele está sendo atraído para o lado negro. 
No lado positivo da passagem, o herói resiste à tentação e sobe a escada.
No lado negativo, o anti-herói cede à tentação e desce a escada.


Enquanto o herói representa aquela parte de nós que reconhece os problemas e aceita a responsabilidade, o anti-herói é o desejo de poder e a ganância insaciável, o lado materialista, faminto de poder e tirânico de nossa natureza; o lado que quer possuir tudo o que deseja, sem limites, e controlar tudo o que necessita. Na vida real, este é o Hitler, o Stalin e o Mao Tsé-Tung. Nas histórias, é o Pequeno César, o Michael Corleone, e o Commodus de Gladiador.

Os estágios do lado positivo da passagem são: separação, iniciação, integração e renascimento. As ações dos heróis em histórias como A Lista de Schindler,ArmageddonCoração ValenteO Fugitivo e Mulan ajudam a iluminar estes passos. 
Os estágios do lado negativo são: fixação, regressão, alienação e morte. Os anti-heróis de histórias como "Édipo", "Fausto", Drácula…E o Vento LevouCidadão Kane e, mais recentemente, Jurassic ParkOnze Homens e Um Segredo, e A Cartada Final ajudam a delinear este lado do caminho.

Histórias focadas no lado positivo focam-se no caráter do herói e giram em torno de fazer o herói entrar ou retornar para a luta. Essas histórias são sobre a transformação do caráter do herói, e mostram o herói sendo trazido de volta a um quadro heroico da mente, e retornando à luta.

Histórias focadas no lado negativo focam-se na corrupção, em vez de na reabilitação de algum anti-herói. OteloMacbethCorpos ArdentesAtração Fatal e O Poderoso Chefão estão todos focados no lado negativo. O "Paraíso Perdido", de John Milton, é todo sobre os esforços de Satanás para corromper Adão e Eva. ‘Macbeth’, que começa no lado positivo após a batalha culminante, está focado no lado negativo e é todo sobre a corrupção e a culpa de Macbeth. ‘Otelo’ está focado no ciúme e é todo sobre a destruição do Mouro por seu servo, Iago.
O objetivo do herói é libertar uma entidade como uma família, um país ou uma galáxia da tirania e da corrupção que causaram um estado de infelicidade, e criar uma nova, unificada e restaurada. O objetivo do anti-herói é tomar posse de uma entidade e redirecioná-la em direção a objetivos que satisfaçam seus próprios desejos e necessidades, que é acumular, controlar e desfrutar de tudo o que precisa para satisfazer seus desejos insaciáveis ​​por objetos dos sentidos, segurança, riqueza e território. Em termos modernos, estamos falando de dinheiro, sexo e poder. Psicologicamente, estes são os apetites e desejos do eu inferior tomando posse do eu consciente, e redirecionando seus objetivos.

Depois do herói completar o lado positivo da passagem, ele pode, como Adão e Eva, Rei Davi ou o Robert DeNiro em Touro Indomável, ser transformado em um novo anti-herói, e ser atraído para o lado negativo. Quando isto acontece, novas forças das trevas são despertas, e o progresso do herói é invertido. E onde havia iniciação, agora existe regressão; onde havia integração, agora existe alienação; onde havia força, agora existe fraqueza; onde havia amor, agora existe luxúria; onde havia unidade, agora existe polaridade; onde havia um super-herói, agora existe um tirano; e onde a humanidade do herói estava sendo despertada, a humanidade do anti-herói está sendo desligada. Sua generosidade tornou-se ganância descontrolada; sua compaixão tornou-se ódio e aversão. Onde havia celebrações, agora existem orgias; e onde havia um paraíso, agora há um inferno.

Às vezes, os ciclos são contínuos. Na saga de ‘Guerra Nas Estrelas’, Darth Vader começa do lado positivo como um Jedi, um jovem herói alinhado com a Força, mas depois ele deserta para o Lado Negro, torna-se um anti-herói e ajuda a acarretar o estado de tirania. Mais tarde, com o alvorecer dum novo lado positivo, o novo herói, Luke Skywalker, guiado pela Força, surge para se opor a ele. Estes ciclos alternantes de mudança-de-sorte são os motores que impulsionam todo este processo.

Você pode dizer de que lado do ciclo o seu personagem principal está através de quem está iniciando a ação. No lado negativo, o mal é agressivo e o bem está na defensiva. No lado positivo, é o contrário – o bem é agressivo e o mal está na defensiva. Histórias que terminam no lado positivo, terminam felizes. Histórias que terminam no lado negativo, invariavelmente terminam tragicamente. O falecimento do anti-herói com muita frequência está ligado às suas paixões exageradas e descontroladas. A miséria que o anti-herói cria finalmente torna-se insuportável, e ele tem de ser destruído. Um novo herói, com uma visão, tem que assumir a causa e persegui-la.

Na verdade, nós temos uma grande dívida com os vilões e anti-heróis fictícios. Eles criam os problemas que os heróis têm de resolver e que cria a necessidade de uma história que revela o funcionamento interno do lado sombrio de nós mesmos. Sem Darth Vader e o Imperador do Mal, não haveria Império do Mal, e não haveria a necessidade de salvar a galáxia. Sem Hannibal Lecter e Buffalo Bill, não haveria nenhum problema para a Clarice e o FBI resolverem. E sem esses problemas, não haveria revelações concernentes à luta básica entre o bem e o mal, e nada a relatar na história. Sem as ações destas forças negativas, haveria muito poucas histórias para contar, e as forças que motivaram Hitler e Jack, o Estripador, permaneceriam eternamente um mistério para nós. Lidar com o lado sombrio da história nos ajuda a lidar com o lado sombrio de nós mesmos.

 Não esqueça também desta postagem: Como Escrever um Bom Vilão.
 Não tenho certeza se vai aparecer nos Post Relacionados mas vale muito a pena a Leitura...

Fonte: Dicas de Roteiro

Famosos & Escritores (Parte 2) - Ellen Degeneres


Essa é a segunda parte da Série de publicações curtas sobre Famosos que se destacaram por outros talentos mas que também possuem em seu curriculum a Autoria de um ou mais livros.

Aqui você confere a Primeira parte falando sobre o Comediante Steve Martin.



Dona de uma simpatia sem igual Ellen vem acumulando faz ao redor do mundo graças a seu programa The Ellen Degeneres Show. Ellen começou sua carreira ainda nos anos 80, enveredando para o ramo da comédia após perceber suas aptidões para fazer as pessoas rirem. Seu personagem mais marcante, porém, é uma criação Disney/Pixar: na animação Procurando Nemo, Ellen deu voz à personagem Dory. Em 2015 a personagem ganhará seu próprio longa. Empolgada com o projeto, Ellen disse que anunciar a sequência do filme “foi um dos anúncios mais importantes e emocionantes de sua vida”.

 É sério… Estou brincando

A atriz, comediante e apresentadora Ellen DeGeneres acaba de transformar parte de seu diário e de suas experiências pessoais no livro É sério… Estou brincando, que chega ao Brasil pela editora Gutenberg. Em forma de guia prático, Ellen aproveita situações de sua vida para dar dicas amorosas, profissionais e até para melhorar a autoestima.

Descontraída, a publicação representa o bom-humor e dinamismo que levaram Ellen a conquistar a maior audiência da atualidade à frente do programa The Ellen DeGeneres Show. Nas 224 páginas da obra, o leitor poderá saber mais sobre seu casamento com Portia, a conquista do seu talk show e sua opinião sobre temas como religião e até mesmo assuntos mais rotineiros, como alongamento corporal.

Confira uma trecho do livro:

- Seja como for que você decida viver sua vida, tente aproveitá-la o máximo possível. Ponha um sorriso no rosto (não, não é a pasta de dentes) e aceite o que a vida lhe oferece: o bom, o ruim, o feio, o estranho, o divertido, o chato, o maduro, o verde, o doce, o azedo, o salgado…


My Point - And I Do Have One

Neste best-seller # 1 New York Times, Ellen DeGeneres compartilha sua tomada divertida em tudo, desde as nossas fraquezas humanas mais desconcertantes - inclusive como nos comportamos em elevadores , aviões e banheiros , e por isso que estamos com tanto medo de o bicho-papão para as tendências da moda , celebridade, e sua receita secreta para Ellen real Frenchy French Toast. Acima de tudo , este espirituoso e envolvente livro oferece insights sobre a mente de uma das mais amados apresentadoras da América.

Caro leitor,
Eu estava muito animado quando me pediram para escrever um livro. Eu estava no entanto , nervosa. Eu estava com medo que eu não tinha nada de importante a dizer. Mas quando eu comecei a escrever , percebi que, embora eu não sei muito sobre qualquer coisa , eu sei um pouco sobre um monte de coisas : uma torta assar ; dançar; curar um resfriado comum ; realizar tudo isso faz parte do livro. E eu percebi que eu observo coisas que talvez algumas pessoas não percebem (ou eles não percebem que eles não percebem ) . Isso é tudo que compõe o livro também.

Com a sagacidade imprevisível e calor envolvente que lhe valeu um público fiel , a qualidade de estrela inegável que fez sua série de televisão um sucesso instantâneo , Ellen DeGeneres traz sua perspectiva cómica e exclusiva para as páginas de um livro de observações ainda brilhantemente simples , ultrajante sonhos e histórias de vida hilariante.



Biografia da Autora


Ellen Lee DeGeneres  é uma atriz, apresentadora e comediante americana.

Ellen DeGeneres é a única pessoa a ter apresentado os Óscares (2007 e 2014), os Prémios Emmy e o Grammy. Participou em diversos filmes, incluindo a voz de Doris no filme Procurando Nemo e foi também jurada do reality show American Idol. É a apresentadora de seu próprio talk-show, o The Ellen DeGeneres Show.

Ellen DeGeneres nasceu em Metairie, Jefferson, Luisiana. Seu pai, Elliot, era um Corretor de seguros, e sua mãe, Betty, era uma agente imobiliária. DeGeneres tem ascendência francesa, inglesa, alemã e irlandesa. Ela viveu sua infância na cidade de Nova Orleans.

Os pais de DeGeneres se divorciaram quando ela tinha apenas treze anos de idade, e ela foi morar com a mãe em Atlanta, na Geórgia. DeGeneres formou-se no ensino médio pela Escola Pública de Atlanta em 21 de maio de 1976.

DeGeneres voltou para Nova Orleans para estudar Comunicações na Universidade de Nova Orleans. Depois de um semestre, ela abandonou o curso para trabalhar numa firma de advocacia. Também teve o emprego de vendedora de roupas na loja Merry-Go-Round, no centro comercial Melbourne. Trabalhou também como garçonete, pintora de casas e bartender.

Assumidamente homossexual, depois de uma relação atribulada com a atriz Anne Heche, DeGeneres teve um relacionamento com a actriz e fotógrafa Alexandra Hedison aparecendo juntas na capa da revista Advocate (após o anúncio da sua separação aos media). Desde 2004 que está com a atriz Portia de Rossi, com quem casou na Califórnia a16 de agosto de 2008 na sua casa de Beverly Hills onde vivem com três cães e quatro gatos.

DeGeneres tem um salário de 65 milhões de dólares anuais, com um patrimônio avaliado em 250 milhões.


As Melhores Sagas de Romance Sobrenatural (Parte 1)



 1 - A Irmandade da Adaga Negra (J.R. Ward)

Nas sombras da noite, em Caldwell, Nova York, desenrola-se uma sórdida e cruel guerra, entre vampiros e seus carrascos. Há uma irmandade secreta, sem igual, formada por seis vampiros defensores de sua raça. Ainda assim, nenhum deles deseja a aniquilação de seus inimigos mais que Wrath, o líder da Irmandade da Adaga Negra. Wrath é o vampiro de raça mais pura dentre os que povoam a terra e possui uma dívida pendente com os assassinos de seus pais. Ao perder um de seus mais fiéis guerreiros, que deixou órfã uma jovem mestiça, ignorante de sua herança e destino, não lhe resta outra saída senão levar a bela garota para o mundo dos não mortos. 
Traída pela debilidade de seu corpo, Beth Randall se vê impotente em tentar resistir aos avanços desse desconhecido, incrivelmente atraente, que a visita todas as noites envolto em sombras. As histórias dele sobre a Irmandade a aterrorizam e fascinam. Seu simples toque faísca, um fogo que pode acabar consumindo a ambos.

A escrita desta autora é muito boa. Ela consegue dosar os conflitos, os dramas, as tragédias, o suspense, o romance, tudo na medida certa e de uma forma coerente. E, claro, o quesito “fantasia/sobrenatural” está ali. A série já tem 13 Livros publicados e ainda não tem data de validade.



2 - Crepúsculo - Stephenie Meyer

Crepúsculo é o primeiro livro da série de vampiros escrita por Stephenie Meyer. Que como todos sabem já foi totalmente adaptada para o cinema.

Ao se mudar para cidade de seu pai, Bella nem imaginava o que iria acontecer em sua vida. Toda mudança é difícil, principalmente para um adolescente. Quando Bella chega à pequena Forks, a garota vira o centro das conversas, ainda mais quando Edward Cullen a salva de um possível atropelamento, tornando-a o assunto da escola em que estuda.

Até hoje muitas pessoas se perguntam o porquê desse livro tão simples, ter feito um sucesso estrondoso no mundo editorial. Crepúsculo no geral é um livro simples, não tem grandes mistérios nem muitos momentos de ação. O grande charme do livro é o romance, e Stephenie conseguiu atrair milhões de leitores ao redor do mundo com uma história que narra à jornada de uma garota que se apaixona por um vampiro, com isso vem o dilema de que ela não pode ficar com o garoto por qual é perdidamente apaixonada porque ele pode querer matá-la a qualquer momento. Acreditem ou não,mas foi isso que atraiu boa parte dos leitores da série.

A trama da saga no entanto fica longe de ser algo Simples. É uma jornada de descobrimento com tramas fantásticas, Clãs vampíricos, novas criaturas sobrenaturais e triângulos amorosos. Mas Meyer soube utilizar os artifícios que tinha em mãos e tornou a história de Bella e Edward envolvente, a forma como ela colocou o romance entre os dois é espantosa.



3 - A Caminho da Sepultura - Jeaniene Frost

"A caminho da sepultura" é o primeiro livro da série Night Huntress, onde somos apresentados a protagonista Catherine Crawfield, mais conhecida como Cat. Nessa série, que tem uma trama mais adulta, temos personagens sarcásticos, carismáticos e apaixonantes.

A meia-vampira Catherine Crawfield está indo atrás dos mortos-vivos como uma vingança, esperando que um destes sem batimentos cardíacos seja seu pai- o responsável por arruinar a vida de sua mãe. Então ela é capturada por Bones, um caçador de vampiros, e é forçada a uma profana parceria. Em troca de encontrar seu pai, Cat concorda treinar com o sexy caçador da noite até que seus reflexos de batalha estejam tão afiados quanto as suas presas. Ela está espantada que ela não terminou como o seu jantar- há realmente bons vampiros? Rapidamente Bones a terá convencida de que ser meio-morto não tem que ser de todo ruim. Mas antes que ela possa aproveitar seu novo status de caçadora chutadora de traseiros de demônios, Cat e Bones são perseguidos por um grupo de assassinos. Agora, Cat terá que escolher um lado… e Bones está se tornando tão tentador quanto qualquer homem com um batimento cardíaco.


Série Night Huntress ( No Brasil,distribuída pelo novo século) conta com seis livros lançados nos EUA (Ainda irá sair mais um) e quatro no Brasil. Além dos livros principais, nos EUA foram lançados contos para serem lidos entre os livros e a autora disponibilizou cenas extras e deletadas em seu blog oficial.
A caminho da sepultura é sem dúvida,um livro que merece ser lido e divulgado. Uma verdadeira história de vampiros.
Ação, Sangue, corpos, romance, humor, sexo, criaturas sobrenaturais e mistérios é o que não vai faltar.



4 - Morto até o Amanhecer - Charlaine Harris

Esqueça tudo o você já ouviu sobre vampiros. Os mortos-vivos ganharam o direito de existir legalmente. O vampiro Bill Compton está disposto a tudo para se estabelecer em sua cidade natal. O que ele não contava era com uma série de assassinatos inexplicáveis, a desconfiança dos moradores locais e o envolvimento com uma bela - e teimosa - garçonete telepata.

O livro conta a história de Sookie Stackhouse, uma garçonete da cidade de Bon Temps, no interior dos EUA. Tudo ia normalmente até que uma notícia abala a todos: os vampiros sempre existiram e andam no meio de nós. Agora toda a população é obrigada a aceitá-los como iguais. Isso não é grande problema para Sookie, que sempre teve uma atração por esses seres. Só que, com a chegada de um vampiro misterioso, uma série de assassinatos começa a rondar a cidade e todos estão vivendo uma grande tensão.

Charlaine Harris sabe contar uma história de vampiros. As criaturas são, na história, super tradicionais. Não gostam de alho, não podem sair no sol, são frio, cruéis, atraentes, imortais e só morrem com uma estaca no peito ou quando mutilados. Percebe-se logo de início que, por mais que se amem, um relacionamento entre uma humana e um vampira não é nada fácil. Sem ilusões de que o amor vence tudo, cobrindo até o fato de seu parceiro ser uma criatura das trevas, Charlaine mostra todas as dificuldades possíveis nesse turbulenta relação. Sookie é uma personagem forte e adorável, impossível não gostar dela. Quanto ao Bill, bem, não custa ficar com a pulga atrás da orelha.
A série tem 13 Livros, cada um mais envolvente que o outro.




5 - Febre Negra - Karen Marie Moning

“Um bom dia é aquele em que não há ninguém tentando te matar. Ultimamente não vem sendo fácil ter um bom dia.”

MacKayla Lane pode dizer que tem uma vida muito boa. Ela tem amigos maravilhosos, um trabalho honesto e um carro que só de vez em quando dá algum problema. Em resumo, ela é uma garota como qualquer outra da sua idade. Ao menos é o que ela pensa, até acontecer algo extraordinário: antes de ser morta na Irlanda, sua irmã deixa uma única pista do que pode ter acontecido – uma mensagem cifrada na caixa postal do celular de Mac.

A jornada em busca do assassino leva MacKayla a um território jamais imaginado; um mundo de sombras onde nada é o que parece, pois tanto o bem quanto o mal usam a mesma bela e traiçoeira máscara. Em meio a descobertas, Mac se depara com um desafio pessoal: preservar a própria vida enquanto lida com poderes que jamais imaginou ter.

Dotada de faculdades especiais, ela pode ver além do que meros humanos veem. MacKayla pode enxergar o ameaçador domínio dos Fae…

A Série possui Sete ótimos livros publicados e uma versão em quadrinhos. Atualmente a autora iniciou um Spin-off contado a história do ponto de vista de uma outra personagem.



Dêem suas opiniões e digam quais destas sagas mais te interessaram. Mas acho que não é surpresa termos Vampiros dominando essa lista né.
Lembrando que é uma Lista de Sagas, dessa forma Romances Individuais não foram contabilizados.

Em Breve a parte 2 estará disponível e novas criaturas irão aparecer...

terça-feira, 22 de setembro de 2015

Como escrever um romance adolescente e 9 Dicas para Romances de Fantasia

Escrever um romance para adolescentes pode ser desafiador e gratificante. Romances adolescentes também são categorizados como " jovem adulto" e , como qualquer outro projeto , ter muito trabalho e dedicação. É importante criar personagens que os adolescentes possam se relacionar , bem como uma trama que prende os seus interesses. Inicie o livro em um lugar onde você vai agarrar a sua atenção para que eles querem ler mais. 

Conheça o seu público 


Você está escrevendo para as pessoas entre as idades de 13 a 18 anos? Esta é uma grande extensão e você deve estreitar isso um pouco, afinal os jovens mais próximos da idade de 13 anos terá interesses diferentes do que seus colegas mais velhos. Por isso você precisa descobrir qual idade você quer inclinar a sua história para antes de começar.

Conte a história e deixe se fluir naturalmente. Não imponha a história para o seu público, se a história tem um tema ou mensagem , deixe-a sair naturalmente na narração.
 

Desenvolver um personagem principal com o qual adolescentes podem identificar
 

Personagens que estão em torno da mesma idade dos adolescentes manter o seu interesse mais do que aqueles que são muito velhos ou muito jovens . Seu personagem deve crescer emocionalmente e , talvez, mudar durante o livro , pois tem novas experiências. O personagem deve ter um objetivo e motivação para alcançar esse objetivo. Misture em um conflito que impede o personagem de obtenção da meta e você tem o começo de uma boa história. 

Tento assimilar com aquilo que está na moda. Por exemplo, no Wattpad um dos maiores sucessos é um livro onde os personagens principais são praticamente os integrantes da BoyBand One Direction. essa similaridade gera aproximação com o público.

Plotagem do romance adolescente 


Faça um esboço do seu livro . Idéias desaparecem, e se você esperar muito tempo a idéia de que uma vez que você pensou que era tão bom, pode escorregar para fora de sua mente. Adquira o hábito de manter um caderno com você em todos os momentos . Esta é uma forma útil para anotar idéias quando eles vêm a você.  
Leia


Você não pode escrever em um vácuo. Leia como muitos adolescentes e jovens adultos romances possível. Vá para a sua livraria local para ver que tipos de romances adolescentes está vendendo. Ao ler os romances adolescentes populares , você vai ter uma idéia de como eles são escritos .

Grupos de Crítica


Junte-se a um grupo de crítica . Outros escritores podem dar-lhe feedback sobre o seu livro e pode pegar inconsistências em suas histórias, erros de digitação ou erros gramaticais . Grupos de crítica são uma oportunidade de aprender com outros escritores , oferecendo suas próprias opiniões sobre o seu trabalho.

Escolha um Gênero 


Romances adolescentes pode ser escrito como comédias , mistérios, suspense , romances , paranormal ou ficção científica. Escolha um gênero ou dois para sua história. A maioria das pessoas escolhem um livro do gênero que gostam de ler. Alguém que ama comédias e romances não pode querer ler ficção científica. 



9 dicas para escrever um Romance de Fantasia



1 - Escolha um cenário para ambientar sua história. É comum livros de fantasia terem países míticos e mundos maravilhosos cujo funcionamento não pode ser explicado racionalmente. o leitos dificilmente consegue se familiarizar com esse tipo de ambiente, então se fizer dessa forma seja cauteloso pois e preciso muito carinho para apresentar esse mundo a ele sem que se torne confuso e ofusque o romance da história. Quando um romance é situado no mundo real, pressupõe-se que não haja problema para compreensão de como ele funciona. Já no caso de um reino de fantasia, é necessário que isso seja explicado para que o leitor possa acompanhar a narrativa sem qualquer prejuízo. Além de que uma das forças da história de fantasia está justamente na descrição dos ambientes.

2 - Crie personagens críveis. Não é porque você está falando de elfos, magos ou qualquer outro ser fantástico que pode se descuidar na sua criação. Seres fantásticos precisam ser tão aprofundados quanto qualquer outro personagem. Mais isso não quer dizer que você precisa ficar preso a outros estereótipos. Elfos, por exemplo. Na mitologia de Tolkien, são seres altos, loiros, bonitos e habilidosos com arco e flecha. Já os elfos de Rowling são seres baixinhos, orelhudos, sem nenhuma graça e sua habilidade está nos serviços domésticos, para o qual são mantidos escravos.

3 - Além do personagem principal, o herói da história, é preciso povoar seu mundo mítico com outros personagens, criar seu universo. Escritores de fantasia, quando alcançam certa posição, são reconhecidos por seu universo - o conjunto entre personagens locais e onde suas histórias são ambientadas. E as diferenças de personagens utilizados por cada escritor, como no exemplo dos elfos no tópico anterior,  é que tornará os universos únicos. Anjos, zumbis, vampiros... Eles estão por toda parte. Mas cada autor precisa criar seu universo com características próprias.

4 - é preciso que entre tantos personagens não humanos haja também algum, ou alguns, que sejam próximo do que conhecemos como humano. De preferência o herói, ou heroína, da sua história. dessa forma o leitor se identificará mais facilmente com sua história.

5 - Dê nomes diferentes aos seus personagens. Boa parte da personalidade deles estão em seus nomes e, em livros de fantasia, nomes fora do comum são muito bem vindos. Busque em mitologias antigas, livros históricos, modifique nomes conhecidos tornado-os... fantásticos.

6 - Crie um grande desafio para seu herói enfrentar, para que ele conte com a ajuda de outros seres pelo caminho. Seres com habilidades que ele não tem. Além do desafio final, insira pequenos desafios ao longo da jornada. Isso irá garantir que não falte ação a narrativa. Recuperar um artefato místico é algo bastante utilizado e que não perde a validade nas histórias de fantasia, mas vale também destruir um objeto - Vide senhor dos anéis.

7 - Insira elementos sombrios no texto. eles fazem contraponto com os aliados fantásticos do herói. enquanto nós somos contituídos de contradições, os seres mágicos tem sua índole bem definida: ou eles são a favor do herói ou contra ele.

8 - Inicie o Romance com uma cena de impacto, na qual o leitor será surpreendido e fisgado, fazendo com que queira continuar a leitura.

9 - Para finalizar, faça um guia para consulta antes de começar a escrever. Nomes dos personagens, características, poderes, habilidades, fraquezas, ambientes, nome de cada local e assim por diante. Isso é importante pois dificilmente você irá lembrar de tudo, anotar é necessário, a medida que você vai fazendo maus pesquisas para a história novas idéias vão surgindo.

domingo, 20 de setembro de 2015

Saindo do Papel (Parte 3) - Andy Weir Perdido em Marte

Se você, saudoso fã de Blade Runner, o Caçador de Andróides, vivia cabisbaixo porque há tempos Ridley Scott não entregava um bom trabalho, seus problemas acabaram! Com Perdido em Marte, o diretor de Alien, o 8º Passageiro volta à melhor forma em termos de entretenimento.

O filme tem lançamento agendado para o Próximo dia 1° de Outubro e será estrelado por Matt Damon. 



Quando Damon aceitou o papel, ele e o diretor Ridley Scott tiveram a chance de procurar a Nasa para tornar as circunstâncias extremas do filme tão cientificamente exatas quanto possível.

“Estamos de certa forma à beira de sermos capazes de fazer tudo que aparece no filme”, disse Damon à Reuters a respeito da exploração espacial.

“Com o devido financiamento e a devida atenção, esse é o tipo de coisas que estaremos explorando em um futuro muito próximo, e isso será parte da vida de nossos filhos”.

“Perdido em Marte”, baseado no romance homônimo de Andy Weir lançado em 2011, acompanha o astronauta Mark Watney (Damon), que fica sozinho em Marte depois que sua equipe, liderada pela capitã Lewis (Jessica Chastain), supõe que ele morreu em consequência de uma forte tempestade marciana.

Sem meios de comunicação e sabendo que a próxima missão tripulada a Marte irá demorar quatro anos, Watney tenta sobreviver no terreno desértico do planeta usando suas habilidades de botanista para cultivar alimentos no solo marciano.

“[Weir] realmente fez esse cara com um grande senso de humor, muito esperto e habilidoso, mas uma pessoa que tem o tipo de senso de humor de patíbulo que pessoas nessa linha de trabalho costumam ter”, opinou Damon.

Para marcar o lançamento do trailer, a Fox realizou um evento na terça-feira com Damon na Nasa e no seu Laboratório de Propulsão de Jato em Pasadena, na Califórnia, que se especializa em ciência planetária e lançou a sonda Mars Curiosity em 2011.

SOBRE O LIVRO

Sinopse: "Há seis dias, o astronauta Mark Watney se tornou a décima sétima pessoa a pisar em Marte. E, provavelmente, será a primeira a morrer no planeta vermelho. Depois de uma forte tempestade de areia, a missão Ares 3 é abortada e a tripulação vai embora, certa de que Mark morreu em um terrível acidente. Ao despertar, ele se vê completamente sozinho, ferido e sem ter como avisar às pessoas na Terra que está vivo. E, mesmo que conseguisse se comunicar, seus mantimentos terminariam anos antes da chegada de um possível resgate. Ainda assim, Mark não está disposto a desistir. Munido de nada além de curiosidade e de suas habilidades de engenheiro e botânico e um senso de humor inabalável , ele embarca numa luta obstinada pela sobrevivência. Para isso, será o primeiro homem a plantar batatas em Marte e, usando uma genial mistura de cálculos e fita adesiva, vai elaborar um plano para entrar em contato com a Nasa e, quem sabe, sair vivo de lá. Com um forte embasamento científico real e moderno, Perdido em Marte é um suspense memorável e divertido, impulsionado por uma trama que não para de surpreender o leitor."


Mark Watney foi enviado a Marte, juntamente com outros cinco astronautas, para participar da Ares 3. A ideia era de que eles ficassem por lá durante 31 dias coletando rochas e solo marciano para análise. Porém, em Sol 6, uma tempestade de areia atingiu o local em que o Hab estava instalado e a Nasa os obrigou a abortar a missão. Enquanto a tripulação corria até o VAM, em meio a ventos de 175km/h, sem nenhuma visibilidade, uma antena se desprendeu do aparato de comunicação e atingiu Mark, rasgando seu traje espacial, danificando o seu equipamento e matando-o.

A comandante Lewis teve que tomar uma difícil decisão e deu a ordem a Martinez para decolar o VAM, deixando o corpo do amigo para trás. Um resgate naquelas péssimas condições colocaria a vida de todos em risco. Assim que tal fatalidade foi noticiada pela Nasa, a mídia enlouqueceu! Acamparam feito abutres noCentro Espacial Johnson, ansiando por novidades. O mundo parou para chorar por Mark Watney, que se tornou um mártir.

Porém, o que ninguém podia imaginar é que, por causa de uma sequência ridícula de acontecimentos, Mark Watney havia sobrevivido. Agora, ele estava perdido em Marte, incomunicável, com um número limitado de suprimentos, vivendo numa estrutura que havia sido criada para durar por 31 dias e tentando quebrar a cabeça para descobrir como se manter vivo.
"Se o oxigenador quebrar, vou sufocar. Se o reaproveitador de água quebrar, vou morrer de sede. Se o Hab se romper, vou explodir. Se nada disso acontecer, vou ficar sem alimento e acabar morrendo de fome. Então, é isso mesmo. Estou ferrado."
Apesar do péssimo prognóstico, as esperanças de Mark não estavam completamente perdidas. Outros astronautas pousariam no planeta vermelho, em quatro anos, quando a Ares 4 chegasse. O problema é que, para ser resgatado, Mark teria que percorrer 3.200 quilômetros da sua localização, sozinho.

Mark precisava traçar um plano, e seu objetivo principal resumia-se em consertar o rádio e fazer contato com a Terra. Ele ia precisar de toda a ajuda possível para resistir naquele local inóspito.

O Trailer já foi Lançado e provavelmente teremos um Blockbuster eletrizante por aí, o que também vai aumentar e muito a venda do livro...






Autores revelados pelo Wattpad, rede social literária, atraem a atenção de editoras brasileiras




RIO - Anna Todd era uma pós-adolescente recém-casada, que não sabia bem o que queria da vida. Ávida leitora, a americana descobriu numa rede social gratuita com foco em celulares e tablets a solução para o tédio atrás do balcão da loja em que trabalhava. Com o Wattpad, pegou gosto pelas histórias escritas pelos próprios usuários, publicadas em pequenos capítulos, geralmente semanais, formatadas para serem lidas em pequenas telas. Um belo dia, começou ela mesma a escrever e dali saiu uma fan fiction cujos personagens eram os integrantes da boy band One Direction transportados para uma universidade, com um leve toque erótico, formatado para adolescentes. De repente, boom. “After”, sua primeira trilogia, teve mais de um bilhão de visualizações e seis milhões de comentários no aplicativo, arrebanhando uma legião de fãs (outra de detratores) e, claro, chamando a atenção de grandes editoras do mundo todo e dos estúdios de cinema — a trama será adaptada pela Paramount.

No Brasil, “After” acaba de sair assim, com o título em inglês mesmo (a pedido das fãs de Anna), pelo selo Paralela, da Companhia das Letras. Chega às livrarias com 50 mil cópias, tiragem de best-seller, e a marca do Wattpad na capa. A versão impressa foi revisada, reformatada e ganhou trechos exclusivos, que apimentam a relação do protagonista (no papel, ele deixou de ser uma ficcionalização do cantor Harry Styles, rebatizado de Hardin Scott, como será no filme). A segunda parte será lançada em janeiro, a terceira em fevereiro e a quarta em março, seguindo a estratégia do mercado internacional.



Mercado esse que está atento para absorver outros talentos surgidos na plataforma. A galesa Beth Reekles, que publicou “The kissing booth” na rede social quando tinha apenas 15 anos, entrou na lista de adolescentes mais influentes de 2013 da “Time”. Por aqui, já foram lançadas a paulistana Lilian Carmine (“Lost boys”, Leya), a sul-mato-grossense Camila Moreira (“O amor não tem leis”, Objetiva) e a americana Laurelin Paige (“Por você”, Rocco). Em 2015, é a vez da carioca Nana Pauvolih (“A redenção do cafajeste”, Rocco), em fevereiro; da pernambucana Mila Wander (“O safado do 105”, Planeta), em março; e do inglês Taran Matharu (“The summoner”, ainda sem título em português, Galera Record), em maio. Os gêneros vão da ficção adolescente à ficção erótica, passando pela fantasia.

— Comecei a escrever fan fiction porque amava ler isso. Ser escritora era um sonho que eu nem sabia que tinha até começar. Quando publiquei o primeiro capítulo, nem fazia ideia de que alguém iria lê-lo, muito menos esperar que a coisa toda ficaria tão grande — conta Anna Todd, hoje com 25 anos, que escreveu “After” pelo diminuto teclado do celular pela facilidade de poder fazê-lo em qualquer lugar, e chegou às editoras tradicionais graças à equipe do Wattpad, que funcionou como um agente literário. — Quando vi as contas falsas nas redes sociais se comunicando como se fossem os personagens do livro pensei: “uau, os fãs realmente amam esses caras!”.


VERSÃO “BAUNILHA” DE “50 TONS”

A devoção dos fãs é fator essencial nessa onda. Graças ao empenho dos leitores em acompanhar as histórias, comentando e sugerindo modificações, os autores do Wattpad acabam ganhando edição gratuita, feita pelo principal alvo da indústria de best-sellers. A participação, por sua vez, faz com que os leitores se sintam responsáveis por aquela obra.

— De certa forma, estou surpresa por ver tantos fãs comprando um livro que já leram, mas eles sempre foram tão apaixonados pela história que me parece que querem ter uma peça sólida para poder pegar com as mãos — justifica Anna, que recebe, diariamente, uma enxurrada de vídeos e fotos dos fãs posando com o livro, uma versão “baunilha” de “50 tons de cinza”, como a própria autora define.



Acessível a qualquer pessoa com um computador (ou smartphone, ou tablet...) com conexão com a internet, o Wattpad é uma rede social como qualquer outra, reunindo autores com trajetórias diversas. Um dos mais aclamados é o inglês Taran Matharu, filho de um indiano e de uma brasileira. Bem diferente de Anna, que caiu nessa de paraquedas, o jovem de 23 anos sempre escreveu, mas guardava suas histórias para si. Quando começou a publicar “The summoner”, saga fantástica com elementos de “Harry Potter”, “Pókemon”, “O Senhor dos Anéis” e videogames como “Skyrim”, prometeu publicar um capítulo por dia e, no fim de um mês, já tinha cem mil leitores. No único dia em que resolveu tirar folga (era seu aniversário), levou bronca dos fãs. Isso o encorajou a dar passos maiores. Na época, Matharu estagiava no departamento de vendas digitais da Penguin Random House, uma das principais editoras do mundo.

— Perguntei para o meu então chefe quem eram os melhores agentes do Reino Unido. Mandei mensagem para seis deles pelo Facebook mostrando meus números no Wattpad e três horas depois um deles me ofereceu representação. O livro nem estava pronto quando fechamos o contrato — conta Matharu, arranhando o português, e frisando que, apesar da boa relação que mantém com o Wattpad, o aplicativo não intermediou sua publicação por editoras tradicionais. — Minha primeira oferta veio do Brasil, e meu livro foi para leilão em Estados Unidos, Canadá, Reino Unido, Alemanha, além de ser vendido na Espanha, na França e na Polônia. Até agora, foram mais de cinco milhões de visualizações.

Para agradecer aos leitores pelo apoio, Matharu está publicando no Wattpad um adendo à sua trilogia, contando a história anterior à de seu primeiro livro.

A carioca Nana Pauvolih escrevia há 25 anos, mas só começou a tornar suas histórias públicas há três, quando ficou viciada em autopublicação. Professora de História e Filosofia, chegou a reduzir sua carga horária para se dedicar à escrita, publicando sua literatura erótica em blogs e grupos do Facebook.

CONEXÕES E CONCURSO

Nana começou a tirar uns trocados com a venda de e-books na Amazon, e chegou ao Wattpad em busca de mais visibilidade.

— No começo, não entendia os métodos de divulgação, mas a própria comunidade me ensinou as técnicas. Em menos de um mês, tive 700 mil acessos — explica Nana, que costuma remover os capítulos do Wattpad depois de um tempo para estimular a venda dos e-books. Mesmo assim, a série “Redenção” teve mais de um milhão de acessos na plataforma, e o terceiro livro ainda está na metade. Atualmente, ela está licenciada do magistério e se dedica apenas a escrever.

Para Allen Lau, CEO do Wattpad, o alcance dos autores em outras mídias é benéfico para todos, inclusive para a rede.

— O Wattpad nasceu como um meio de dar às pessoas a chance de ler em qualquer lugar, bem como de permitir com que qualquer um compartilhasse conteúdo original. É um espaço em que escritores podem se expressar, testar ideias e se conectar com outros escritores e leitores — explica Lau. — Estamos orgulhosos de ter wattpadders reconhecidos dentro e fora da plataforma. Temos projetos que ajudam editores a conectar seus autores aos fãs, além de descobrir novos autores como o concurso que fizemos com a (editora) Harlequin, “So you think you can write” (“então você acha que pode escrever”, paródia de um reality show popular no Reino Unido).


Créditos: O Globo

quarta-feira, 16 de setembro de 2015

Resenha - Os Senhores dos Dinossauros (Victor Milan)

Num ano em que Jurassic World se torna a 3° maior bilheteria da história do Cinema Victor Milán consegue materializar um sonho que milhares de leitores compartilham secretamente desde a infância: cavalgar os gigantes répteis pré-históricos, como o terrível Tiranossauro Rex.

O romance se passa no Império da Nuevaropa, um continente claramente inspirado na Europa do século XIV. Cultura e costumes, religião, conflitos políticos, tecnologia e armamento são compatíveis com o último período da Idade Média. Mas neste mundo, construído pelos Oito Criadores, os dinossauros também fazem parte do arsenal de guerra.

Os Senhores dos Dinossauros é o primeiro livro de uma Trilogia desenvolvida por Victor Milán, autor de mais de 100 romances de ficção científica e fantasia. Ele também é um dos fundadores e co-escritores do projeto Wild Cards, de Melinda M. Snodgrass e George R. R. Martin. O autor de Guerra dos Tronos, amigo pessoal de Milan, define o que os leitores podem esperar de Os Senhores dos Dinossauros: “É como um encontro de Jurassic Park com Game of Thrones.”

A luxuosa edição brasileira de Os Senhores dos Dinossauros vem em capa dura, com ilustrações originais de Richard Anderson, artista que desenvolveu concepts para filmes de Hollywood como Os Guardiões da Galáxia, Thor: O Mundo Sombrio, Gravidade e Prometheus.




É impossível não se empolgar com a capa, com o conceito de cavaleiros montados em dinossauros e pela declaração de George R.R. Martin na capa descrevendo o livro como uma mistura de As Crônicas de Gelo e Fogo com Jurassic Park.

 “Apesar de ser um livro sobre cavaleiros montados em dinossauros, ele é muito mais que isso.”


Um dos elementos mais interessantes do livro é Paradise, o mundo criado pelo autor Victor Milán. A trama se desenrola mais especificamente no continente conhecida como NuevaEuropa. Os reinos de Spaña, Alemania, Anglaterra e Francia, entre outros formam um Império, cuja língua oficial é o spañol. Esses fatores podem levar o leitor a imaginar que Paradise seja o nosso próprio mundo no passado, no futuro, ou mesmo uma versão alternativa dele, mas o autor deixa claro antes mesmo do início do livro que não se trata de nada disso.

“Algo que vocês devem saber.
Esse mundo – Paradise – não é a Terra.
Não foi a Terra. Nunca será a Terra.
Não é uma Terra alternativa.
Todo o resto é possível”

Essa declaração, principalmente a última frase, incita a nossa curiosidade para alcançar tão brevemente o término do livro, certos leitores temo algumas teorias sobre a gênese do mundo, mas é possível que cada leitor possa ter uma percepção diferente.

A história em si começa com uma grande batalha onde já matamos nossa curiosidade sobre como lutam os cavaleiros de dinossauros. Nela conhecemos também alguns dos personagens principais da trama: Jaume Llobregat, o Conde das Flores e Capitão General da Ordem dos Companheiros de Nossa Senhora do Espelho, uma ordem militar religiosa que segue os preceitos da beleza e da verdade; Voyvod Karyl, comandante da Legião do Rio Branco, uma lendária tropa mercenária e seus imbatíveis Triceratops com suas torres de arqueiros nas costas; Rob Korrigan, um plebeu, menestrel e mestre de dinossauros, responsável por cuidar e alimentar as grandiosas montarias; e, por último, o Duque Falk von Hornberg e seu Tiranossauro Rex albino, Floco de Neve. Mais adiante conhecemos Melodía, a Princesa Imperial, que não se contenta em apenas ser filha do Imperador e que deseja fazer algo de mais útil com a sua vida.

Aos poucos vamos percebendo como os dinossauros estão inseridos no cotidiano dos habitantes de Paradise. Além de seu uso como montaria de guerra, muitos deles são usados como transporte, como “cães de caça”, alimentação, entre outras funções. O autor se preocupou bastante com a pesquisa e todas as muitas espécies de dinossauros citadas no livro fazem jus a sua descrição científica. Eu recomendo que, principalmente aqueles leitores que gostam de visualizar as cenas, pesquisem as espécies que são citadas, pois a leitura fica muito mais rica quando sabemos exatamente a qual dinossauro o autor está se referindo naquele momento.



A batalha do início do livro mudou consideravelmente a vida de todos os envolvidos. O Conde Jaume, campeão do Império e noivo de Melodía, sente-se perturbado por decisões que foi e será forçado a tomar contra a sua própria honra. Ao mestre de dinossauros Rob é dada a missão de encontrar um guerreiro lendário que todos acham estar morto. Karyl, ferido e atormentado, terá que decidir se voltará a ser o grande guerreiro de outrora. Um rebelde e traidor cai nas graças do Imperador. Melodía se vê impotente ao tentar refrear as ações do Imperador em relação à guerra. Além de tudo isso, uma grande conspiração, que ameaça o futuro do Império, pode acabar com a vida de todos eles, ou pior.

A magia também tem o seu espaço na obra, embora ela seja bem sutil e pouco participativa nesse primeiro livro. A religião tem um papel muito maior, seja nas crença do povo ou mesmo nas maquinações políticas. Os Fae (ou demônios) e principalmente os Anjos Cinzentos, intermediários dos oito deuses criadores e responsáveis por expurgar o mundo dos pecados quando necessário, são criaturas bastante temidas, embora muitos acreditem neles apenas como lendas. A presença de um deles no mundo pode significar que muito sofrimento está por vir.



OS Senhores dos Dinossauros é mesmo muito mais que cavaleiros montados em dinossauros, embora todas as batalhas fiquem muito mais interessantes com eles. Não acho que o livro possa ser descrito como dark fantasy, mas, na história criada por Victor Milán, os heróis nem sempre agirão com justiça, nem mesmo estarão do mesmo lado, e coisas ruins acontecem com aqueles que não merecem. Um começo bastante promissor para uma trilogia que parece só ter a crescer nos próximos livros.


Fontes Utilizadas: www.intocados.com


domingo, 6 de setembro de 2015

Mácula da Sanidade - Parte 2



Poças de Sangue



Aquém da incredulidade dos membros da força policial, o inspetor estava decidido a implementar buscas no local correspondente aonde deduzia que o corpo de Sophie Noble deveria ter caído. A procura tanto no entorno quanto no interior da reforma do antigo galpão abandonado não tiveram sucesso a principio, o local exalava um odor fétido que não ajudava e deixava óbvio o motivo da reconstrução não ter tido o sucesso desejado pelas lideranças políticas da região.

A tempos atrás, havia ali sido um armazém reservado ao e estoque de diversos frutos do mar. Ainda existiam vestígios de seu antigo funcionamento, como equipamentos de manutenção e salas de auto refrigeração, todos inutilizados pela exposição contínua ao ao ar abafado, úmidade e falta de manutenção. A tendência era que de que o cheiro de peixe e maresia, maculava toda a área, estivesse vindo exatamente do local onde a presença deles era contínua, porém o odor parecia não ter origem exata partindo de todos os lugares possíveis. Das paredes, dos umbrais das portas, do teto e principalmente do chão. Uma lufada de vento transformava o mais agradável dos perfumes em nefastas expirações pantanosas e que contribuíam intensamente para a degradação do ar que todos ali respiravam.

Estava eu sentado na calçada em frente o galpão, relaxava fumando um Pall Mall enquanto o Inspetor Marchan ainda questionava algumas pessoas que poderiam ter visto alguma coisa, sempre com alguém que pudesse anotar informações relevantes ao seu lado. Eu tentava compreender o que se passava na cabeça daquele homem, eu não costumava questionar seu raciocínio pois normalmente nós concordávamos com uma mesma lógica, mas nesse caso não me parecia que aquele prédio poderia ter alguma ligação com o suposto crime. E aqueles cálculos matemáticos, seu raciocínio levando em conta velocidade e tração, peso presumível da vítima. Era a primeira vez que o via trabalhar nessa linha de visão, principalmente sem sequer utilizar instrumentos métricos e provido apenas de sua limitada capacidade de dedução.

Voltei meus olhos em direção a janela do quarto dos Noble e mentalmente tracei uma linha reta em direção ao galpão, notei que realmente o trajeto passava por cima da casa onde foram encontrados os estilhaços da janela de ébano. Pela minha mente se passou a lembrança recente de que quando chegamos no galpão todas as janelas e portas pareciam estar fechadas, provavelmente devido ao mal cheiro. Foi quando percebi uma única janela aberta em um dos andares superiores onde deveria se localizar os antigos escritórios, por um momento pensei ter visto um reflexo vindo de lá como que uma sombra projetada por fraca iluminação de vela, até que após uma piscadela e olhar mais atento parecia não ter sido nada, porém minha curiosidade já estava aflorada e questionei um dos guardas se alguém teria ido até lá e nenhum deles souberam me responder, ao que parece todos permaneceram no andar térreo e não ampliaram as buscas devido a dificuldade de respirar no interior do galpão.

Decidido a entrar novamente, firmei um lenço no rosto para proteger minha respiração e com uma lanterna invadi a escuridão a procura das escadas. Passei novamente ao lado de uma sala de refrigeração após seguir por um longo corredor sem portas. Em silêncio um jovem oficial chamado Thompson me seguia protegendo o nariz dos odores fétidos com sua boina, ao final do corredor uma escada de madeira surgiu fazendo o caminho contrário por onde havíamos passado. O ranger das tábuas sob nossos pés alertavam por cautela, não havia certeza de que o material iria suportar por muito mais tempo ainda por um dos degraus já estar danificado, parece que a incabada reforma não havia chego nem mesmo naquele ponto do trajeto.

Após subir mais um lance de escadas me deparei com um corredor longo com fiações elétricas expostas, que provavelmente eram obras de ladrões de cobre, portas debruçadas ao chão e mobílias corroídas pelo tempo. A presença de ratos era maior naquele andar do que no térreo e o mal cheiro parecia acompanhar os malditos roedores. Haviam poças de água acumuladas em pontos específicos abaixo de onde o teto apresentava avarias estruturais. 

Havia ali também uma bolsa de couro entreaberta que não combinava com a ornamentação cadavérica daquele ambiente, dentro dela haviam equipamentos variados como um pé de cabra, alicates e uma planta de estrutura que após uma breve observação deduzi ser do próprio prédio onde nos encontrávamos, entre outras coisas. O oficial que me acompanhava percebeu algo que até então eu não havia notado, ao lado da bolsa haviam fios de cobre enrolados que estavam escondidos em baixo de lascas que haviam se soltado do teto e logo mais a frente no corredor percebemos um pequeno brilho solitário em meio a uma poça de água. Ao nos aproximar descobrimos que ali estava um revolver, o oficial Thompson tomou-o em suas mãos com cuidado e verificou uma bala na agulha e apenas duas no tambor.

O mais intrigante vinha depois que corri a lanterna para o lado da poça onde encontrei certas marcas no chão que pareciam listras de sangue, cinco listras que seguiam um caminho específico até o meio do corredor onde a única porta além dali era a que se encontrava ao final do mesmo, através do qual chegaria a mesma sala onde deveria ser o escritório que havia atraído a minha atenção.

Foi então que descobri a luz no fim do túnel. Ao final do corredor, na porta pareciam surgir três pequenos e imóveis vaga lumes. Suas luzes eram fracas e opacas e pareciam piscar em sintonia com a corrente de ar que vinha de sua direção, a fraca iluminação das lanternas me fizeram divagar naqueles três pontos luminosos até ser trago a realidade de forma espantosa pelas palavras sussurradas pelo Inspetor Marchan, que surgira como um gatuno através das trevas que povoavam nossa retaguarda.


“Três marcas de tiro na porta, provavelmente saíram da mesma arma que vocês encontraram nessa poça de água.”


Foi quando percebi que minhas suspeitas poderiam estar certas e realmente aqueles três pontos luminosos eram reflexos da tal luz de vela que, a principio, imaginava haver do outro lado da porta.

Seguindo pelo corredor, acompanhado do oficial Thompson, saquei a arma do coldre e nos aproximamos da porta. A partir daquele ponto chegava ao fim o acumulo de poças de água no chão e começavam a surgir extensas poças de sangue.

Confira a história toda na sessão Contos & Mythos

Criando personagens para seu Livro, Parte 1 - Atributos Físicos

Em breve vou criar mais um tópico bem interessante chamado "Como nascem os Livros", mas hoje eu quero pular essa etapa e partir direto pra parte do personagem.

Muitos escritores tem dificuldades em criar personagens devido a falta de criatividade, preguiça de raciocínio ou até mesmo por não saber pesquisar sua idéia de personagem. Afinal quem sabe o personagem que você está criando não é tão original quanto você imagina?

Dependendo do tipo de história que você quer contar é possível que você caia no "Paradoxo do Morcego" ou no "Ciclo do Herói Orfão". Onde você pode perceber tarde demais que apesar de sua história poder ser original ela está sendo contada do ponto de vista de um personagem que já existe em outro livro ou seu personagem é alguém que já pode ter sido usado por outro autor antes de você. e é aí que você se lembra daquelas frases como: "nada se cria, tudo se transforma" ou "todas as idéias já floram exploradas, você apenas conta as mesmas histórias mas com detalhes diferentes".

Pois bem, existem formas bem simples de criar um personagem bem original e uma delas é o RPG, ou Role Playing Game. RPG é um jogo de interpretação de personagens, vou fazer um tópico bem explicado sobre isso no futuro mais para resumir: Você é um ator que trabalha com um roteiro em branco, suas decisões e falas são totalmente espontâneas e elas definem seu futuro dentro daquela "novela", já suas ações estão sujeitas a falhas e para isso existe um sistema de Sorte ou Azar que decide se você é ou não bem sucedido naquilo que você tem intenção de realizar. O Mestre do jogo funciona como o "Diretor/Cenário" pois ele cria toda a ambientação da história e apresenta para você as possibilidades do seu personagem, servindo também como um juiz decidindo o quê você pode ou não fazer dentro do Universo que ele criou para você.

A forma de criação de personagens utilizando o RPG pode ser bem simples ou bastante complexa dependendo do sistema utilizado, porém independente disso a diversão de jogar não se altera independente do sistema. Porém, trazendo isso para o nosso universo, é fácil aceitar que quanto mais complexo a forma de criação de personagem melhor. Dessa forma decidi invocar todo o meu conhecimento em RPG e criar um Sistema Unificado, sem regras de Sorte ou Azar, apenas com o objetivo de criação de personagem.

Nessa primeira parte vou começar mostrando apenas a caracterização de Atributos Físicos.

Todo as pessoas tem Atributos; eles representam o potencial básico de cada pessoa do mundo, assim como o de todas as coisas vivas (e mortas-vivas). A maioria das pessoas do mundo tem pontuações de Atributos que variam ente l (fraco) e 3 (bom), apesar de indivíduos excepcionalmente dotados terem pontuações de 4 (excelente) ou até mesmo 5 (máximo da capacidade humana). Atributos também podem possuir níveis zero, para definir pessoas com deficiências.

Os Atributos Físicos definem as condições do corpo e da mente de um personagem. Eles indicam quão forte, ágil e resistente o personagem é.

Os Atributos Físicos devem ser os Atributos primários de um personagem muito ativo fisicamente.

FORÇA - A Força é o poder puro e bruto de um personagem. Ela indica quanto peso um personagem é capaz de levantar, quanto ele pode empurrar e com qual força ele pode atingir um outro personagem ou objeto.

Nível:
● - Fraco: Pode levantar 20 kg
●● - Médio: Pode levantar 50 kg
●●● - Bom: Pode levantar 125 kg
●●●● - Excepcional: Pode levantar 200 kg 
●●●●● - Extraordinário: Pode levantar 325 kg e esmagar crânios como uvas.

Características Físicas relacionadas a Força. (Vou usar exemplos populares para facilitar a compreensão)


FEROZ: POSSUI UMA INTENSIDADE BRUTAL E UMA DETERMINAÇÃO FÍSICA AO EXTREMO. Ex: Hulk

INTRÉPIDO: FORTE FISICAMENTE E SEM TEMER OPOSIÇÃO. Ex: Bruce Lee

MUSCULOSO: PURA FORÇA E POTÊNCIA MUSCULAR. Ex: Conan

RUDE: UMA ATITUDE BRUTA E AGRESSIVA ALIADA A UMA RELUTÂNCIA A SE SUBMETER. Ex: Wolverine


DESTREZA - O Atributo Destreza mede a habilidade física geral de um personagem. Ela abrange a capacidade de manipular objetos com controle e precisão. Também incluídos sob o título Destreza estão a coordenação visual e motora.


Nível:
● - Fraco: Desajeitado e deselegante. Abaixe essa arma antes que você se machuque.
●● - Médio: Você não é nenhum estúpido, mas também não é especialista em tiro ao alvo.
●●● - Bom: Você é fera em CS e PES.
●●●● - Excepcional: Mãos Leves - Você poderia arrombar uma porta com um grampo.
●●●●● - Extraordinário: Faz truques com as mãos a lá Houdini - Pontaria apurada.


HÁBIL: DESTREZA EM GERAL E PERÍCIA QUE ENVOLVAM O USO DAS MÃOS. Ex: Ladrões de Banco, Batedores de Carteira, Relojoeiros, Pilotos de corrida.

PRECISO: FIRMEZA E PONTARIA APURADAS. Ex: Malabaristas, Atletas de Tiro ou Arremesso.

RÁPIDO: ESTA CARACTERÍSTICA REPRESENTA A VELOCIDADE E CAPACIDADE DE REAÇÃO. Ex: Policiais, Artistas Marciais.

AGILIDADE - O Atributo Agilidade abrange a velocidade, agilidade e a rapidez geral do personagem, assim como seus reflexos e a graciosidade dos movimentos.


Nível:
● - Fraco: Lento, não consegue acompanhar as pessoas numa caminhada.
●● - Médio: Sabe acompanhar alguns passos de dança, mas também não é um bailarino.
●●● - Bom: Você possui algum potencial atlético.
●●●● - Excepcional: Você poderia ser um acrobata se quisesse.
●●●●● - Extraordinário: Seus movimentos são fluidos e hipnóticos — quase sobrenaturais.


ÁGIL: LEVE E CHEIO DE PERÍCIAS, CAPAZ DE FAZER MOVIMENTOS ÁGEIS. Ex: Jogadores de Futebol, Lutadores, Corredores.

ATLÉTICO: POSSUI UM CORPO BEM CONSTITUÍDO E FLEXÍVEL. DOBRA, DESVIA, CORRE E SALTA COM FACILIDADE. Ex: Atletas em Geral.

GRACIOSO: CONTROLE E EQUILÍBRIO EM SEUS MOVIMENTOS ENVOLVENDO O CORPO INTEIRO. Ex: Equilibristas, Surfistas, Motoqueiros.


VIGOR - A Característica Vigor reflete a saúde, a resistência e o poder de recuperação do personagem. Ela indica por quanto tempo um personagem pode se esforçar e quanta punição física ele é capaz de suportar antes de sofrer traumas físicos. O Vigor também inclui um pouco de força psicológica, indicando a determinação e a tenacidade de um personagem em não desistir.

Nível:
● - Fraco: Se machuca com um vento forte.
●● - Médio: Tem saúde mediana e aguenta um soco ou dois.
●●● - Bom: Está em boa forma e raramente fica doente.
●●●● - Excepcional: Pode correr — e talvez vencer — em qualquer maratona que escolher.
●●●●● - Extraordinário: Possui a constituição de um verdadeiro Hércules.


INCANSÁVEL: TEM UM VIGOR DE CORREDOR, TENDO MAIS FÔLEGO PARA SEUS ESFORÇOS FÍSICOS QUE PESSOAS COMUNS. Ex: Maratonista, Triatleta, Montanhista.

ENÉRGICO: UMA PODEROSA FORÇA DE ESPÍRITO, UMA FORÇA INTERIOR QUE O IMPULSIONA E QUE, EM SITUAÇÕES FÍSICAS, VOCÊ PODE CONTAR COM ESTE RESERVATÓRIO DE ENERGIA E ENTUSIASMO. Ex: Soldados, Fuzileiros.

VIGOROSO: ESTA É A COMBINAÇÃO DE ENERGIA, PODER, INTENSIDADE E RESISTÊNCIA A DANO. Ex: Lutador de MMA, Lutador de Boxe.


Na segunda parte vou falar sobre os atributos Sociais que normalmente são os mais interessantes na construção de um personagem...


terça-feira, 1 de setembro de 2015

Grandes Escritores e suas Grandes Obras (Parte 6) - Stieg Larsson & Millennium


Stieg Larsson
A Série Millennium é uma série composta de três volumes escritos pelo jornalista sueco Stieg Larsson, e um quarto volume pelo também sueco David Lagercrantz, lançado em Agosto de 2015 na Suécia e no resto do Mundo. Os livros são:


Män som hatar kvinnor, Flickan som lekte med elden, Luftslottet som sprängdes e Det som inte dödar oss. No Brasil e em Portugal, o primeiro volume foi lançado em 2008, o segundo e o terceiro em 2009, e o quarto em 2015.

O tema da violência sexual contra as mulheres nos seus livros deve-se ao fato de que Larsson, enojado, testemunhou o estupro coletivo de uma jovem quando ele tinha 15 anos. O autor nunca se perdoou por não ajudar a garota, cujo nome era Lisbeth - como a jovem heroína de seus livros, e resolveu dedicá-los a ela.

Em 2013, o escritor sueco David Lagercrantz foi convidado pela editora Norstedts a assumir a continuação da série, ignorando os manuscritos deixados pelo autor em posse de sua companheira - impossibilitada pela justiça a continuar a escrever a série, pois ela e Larsson não eram legalmente casados. O 4º volume da Trilogia Millennium foi publicado em 2015, com o título Det som inte dödar oss (literalmente: O que não nos mata), e traduzido para português como A Garota na Teia de Aranha.


2005 - "Os Homens que Não Amavam as Mulheres"


Os Homens que Não Amavam as Mulheres começa com uma narrativa típica dos livros com histórias que se cruzam: apresentando os personagens de forma isolada, e deixando que seus caminhos se construam e intercalem naturalmente. A estrutura vem sustentada em uma tríade: Mikael Blomkvist, Lisbeth Salander e Henrik Vanger. É esse o primeiro ponto interessante na trama. Ao invés de um personagem principal que conduz todos os demais e vê a história se desenrolando ao redor dele, o livro tem um fluxo cambiante. Ora Mikael é principal, ora Lisbeth, ora Vanger. É difícil determinar quem é mais relevante, Mikael ou Lisbeth – até porque, em determinado momento, a investigação em que estão inseridos faz com que eles se tornam quase uma única presença. (E, embora seja Vanger que traga os três nucleos para um caminho comum, ele não é nem de longe aquele que mais se destaca).

O Livro é praticamente um enigma a portas fechadas – passa-se na circunvizinhança de uma ilha. Em 1966, Harriet Vanger, jovem herdeira de um império industrial, some sem deixar vestígios. No dia de seu desaparecimento, fechara-se o acesso à ilha onde ela e diversos membros de sua extensa família se encontravam. Desde então, a cada ano, Henrik Vanger, o veelho patriarca do clã, recebe uma flor emoldurada – o mesmo presente que Harriet lhe dava, até desaparecer. Ou ser morta. Pois Henrik está convencido de que ela foi assassinada. E que um Vanger a matou.

Quase quarenta anos depois o industrial contrata o jornalista Mikael Blomkvist para conduzir uma investigação particular. Mikael, que acabara de ser condenado por difamação contra o financista Wennerström, preocupa-se com a crise de credibilidade que atinge sua revista, a Millennium. Henrik lhe oferece proteção para a Millennium e provas contra Wennerström, se o jornalista consentir em investigar o assassinato de Harriet. Mikael descobre que suas inquirições não são bem-vindas pela família Vanger. E que muitos querem vê-lo pelas costas. De preferência, morto. Com o auxílio de Lisbeth Salander, que conta com uma mente infatigável para a busca de dados – de preferência, os mais sórdidos -, ele logo percebe que a trilha de segredos e perversidades do clã industrial recua até muito antes do desaparecimento ou morte de Harriet. E segue até muito depois…. até um momento presente, desconfortavelmente presente


2006 - "A Menina que Brincava com Fogo"


Depois de ajudar Mikael e de ficar financeiramente confortável, Lisbeth Salander tira férias. Ela viaja pelo mundo e não tem pressa em voltar para Estocolmo. Depois de mais ou menos um ano e meio viajando, Lisbeth volta para sua cidade, não precisa trabalhar, então só faz uma visita para as pessoas que ela se interessa. Evita encontrar Mikael, ela ainda está muito triste com tudo que aconteceu entre os dois.

Mas Lisbeth não consegue ficar parada por muito tempo. Usando sua habilidade em computadores, descobre que a Millennium esta prestes a publicar um livro que causará outro escândalo. Entre os arquivos que baixou do computador de Mikael, um nome se destaca, um nome que a muito tempo, Lisbeth não ouvia... Então ela começa a fazer sua própria pesquisa. A Millennium vai publicar um livro de Dag Svensson que conta como o tráfico de mulheres cresceu na Suécia, e neste livro, Dag denuncia todos os envolvidos, e, alguns, são pessoas respeitadas no convívio social.

O Tutor de Lisbeth, Dag e sua parceira Mia, são encontrados mortos. Só há uma evidência: a arma do crime que está com as impressões digitais de Lisbeth. Começa então uma caçada desesperada em busca desta fugitiva que é muito esperta e escorregadia. Para a polícia, nada neste caso parecia normal, simples ou descomplicado. Afinal se tratava de Lisbeth Salander.

Desde o primeiro livro, Lisbeth é apresentada como uma moça que, aos olhos da sociedade, é louca, desequilibrada, antissocial, violenta... Uma pessoa perturbada o suficiente para não se enquadrar nas normas sociais, alguém que rejeita a sociedade. Mas, à medida que os segredos de Lisbeth são revelados em A menina que brincava com fogo, surgem alguns questionamentos: a garota rejeitou a sociedade ou a sociedade rejeitou a garota? A quem as normas sociais são favoráveis? Sempre é possível se enquadrar?

A leitura desse livro suscita algumas reflexões sobre o que a sociedade oferece e o que ela exige. Quando precisou da sociedade, Lisbeth não teve suas necessidades atendidas e decidiu não mais atender às necessidades dessa sociedade que a ignorou. No entanto, as imposições sociais têm muita força sobre o ser humano e a vida de Lisbeth é devastada. Todas as medidas de proteção que ela tomou ao longo de sua vida, que garantiram a sua proteção quando ninguém foi capaz de protegê-la, tornam-se provas de que Salander é uma ameaça para a sociedade. Chega a ser cruelmente irônico.

Não há como não recomendar a leitura desse livro: além de dominar magistralmente a linguagem do suspense, de nos envolver em um mistério que precisamos desvendar para ter paz, possibilita reflexões interessantes sobre ética, moral, poder da mídia, coerções sociais, entre outras questões. Um livro imperdível!

2007 - "A Rainha do Castelo de Ar"


Até então aquele que seria o Último volume da trilogia Millennium, A Rainha do Castelo de Ar reúne os melhores ingredientes da série: um enredo de tirar o fôlego, personagens que ficam gravados na imaginação do leitor e surpresas que se acumulam a cada página.

Mikael Blomkvist está furioso. Furioso com o serviço secreto russo, que, para proteger um assassino, internou Lisbeth Salander – na época com apenas doze anos – num hospital psiquiátrico e depois deu um jeito de declará-la incapaz. Furioso com a polícia que agora quer indiciar Lisbeth por uma série de crimes que ela não cometeu. Furioso com a imprensa, que se compraz em pintar a moça como uma psicopata e lésbica satânica. Furioso com a promotoria pública, que pretende pedir que ela seja internada de novo, desta vez – ao que parece – para sempre.

Enquanto Lisbeth recupera-se, num hospital, de ferimentos que quase lhe tiraram a vida, Mikael procura conduzir uma investigação paralela que prove a inocência de sua amiga. Mas a jovem não fica parada, e muito mais do que uma chance para defender-se, ela quer uma oportunidade para dar o troco. Com a ajuda de Mikael, Lisbeth está muito perto de desmantelar um plano sórdido que durante anos articulou nos subterrâneos do Estado sueco, um complô em cujo centro está o pai dela, um perigoso espião russo que ela já tentou matar. Duas vezes.


Ler A rainha do castelo de ar proporciona uma dose de alívio e uma dose de angústia. O alívio se deve ao fato de que, finalmente, é possível encontrar esclarecimentos para os mistérios que ficaram em aberto no segundo volume. Já a angústia se deve à sensação sufocante que acompanha a leitura: você se pergunta se(e, principalmente, como) Mikael Blomkvist e sua tropa de defensores de Lisbeth conseguirão o impossível: provar a inocência da hacker.

Como não poderia ser diferente, o livro é excelente! O enredo é tão eletrizante quanto os demais, embora haja diferenças significativas em relação aos outros dois volumes: para o leitor, muitos mistérios são resolvidos logo no início do livro; todavia, os personagens continuam sem esses esclarecimentos. Nós, leitores, ficamos presos à narrativa justamente pela curiosidade: como isso poderá vir à tona? Como poderão descobrir isso? Pior: como poderão provar isso?

Então, mais do que o simples suspense, a narrativa chama atenção pela astúcia. Para os personagens, mais importante que desvendar mistérios é saber escolher as estratégias que possam desmontar a argumentação do(s) rival(is). Embora não seja um romance de tribunal, o julgamento de Lisbeth é a melhor parte do livro: comprova que a genialidade da obra não reside na identificação do(s) criminoso(s), mas na complexidade da trama inteligente em torno dos crimes que envolvem Salander e na análise que faz da violência sofrida por mulheres, tema que norteia toda a série Millennium.



2015 - "A Garota na Teia de Aranha"


Lisbeth Salander e Mikael Blomkvist estão de volta na aguardada e eletrizante continuação da série Millennium. Neste thriller explosivo, a genial hacker Lisbeth Salander e o jornalista Mikael Blomkvist precisam juntar forças para enfrentar uma nova e terrível ameaça. É tarde da noite e Blomkvist recebe o telefonema de uma fonte confiável, dizendo que tem informações vitais aos Estados Unidos. A fonte está em contato com uma jovem e brilhante hacker – uma hacker parecida com alguém que Blomkvist conhece. As implicações são assombrosas. Blomkvist, que precisa desesperadamente de um furo para a revista Millennium, pede ajuda a Lisbeth. Ela, como sempre, tem objetivos próprios. Em A Garota na Teia de Aranha, a dupla que já arrebatou mais de 80 milhões de leitores em Os Homens que Não Amavam as Mulheres, A Menina que Brincava com Fogo eA Rainha do Castelo de Ar se encontra de novo neste thriller extraordinário e imensamente atual. 


David Lagercrantz nasceu na Suécia, em 1962. Jornalista, romancista e biógrafo premiado, Lagercrantz foi escolhido para continuar as aventuras de Lisbeth Salander e Mikael Blomkvist. Lagercrantz é o responsável pelo best seller I am Zlatan Ibrahimovic, que conta a história do jogador de futebol Ibrahimovic, ídolo de seu país, curiosamente a Suécia.

David Lagercrantz
O novo autor fez questão de criar uma história inédita com base no universo dos personagens criados por Larsson. Ele escreveu sua trama num computador sem acesso a Internet para garantir a segurança e entregou as páginas impressas pessoalmente na editora. Eva Gedin, editora da Norstedts, revelou que nada do quarto romance quase concluído por Larsson foi aproveitado no novo trabalho. Faltavam cerca de 100 páginas para Larsson concluir o quarto livro, quando ele morreu subitamente em 2004, antes dele e de sua trilogia alcançar a fama. O autor original, antes de morrer, tinha idéias e rascunhos para mais dez livros. O novo livro tem o título original sueco Det Som Inte Dödar Oss (ou Aquilo Que Não Te Mata) e, segundo a editora britânica MacLehose, já vem sendo traduzido para 38 idiomas.


Stieg Larsson



Karl Stig-Erland Larsson (Skelleftehamn, 15 de agosto de 1954 —Estocolmo, 9 de novembro de 2004), mais conhecido como Stieg Larsson, foi um jornalista e escritor sueco. Destacou-se no cenário internacional pela trilogia Millennium, lançada postumamente. A Trilogia foi um sucesso de crítica e de público em todos os países em que foi lançada. Em seu país, Suécia, uma em cada quatro pessoas leu pelo menos um exemplar da série.

Larsson viveu boa parte de sua vida na cidade de Estocolmo, tendo trabalhado no campo do jornalismo e sido pesquisador independente do extremismo político em seu país.

Stieg Larsson foi um dos mais influentes jornalistas e ativistas políticos suecos. Trabalhou na destacada agência de notícias TT. À frente da revista Expo, fundada por ele, denunciou organizações neofascistas e racistas. É co-autor de Extremhögern, livro sobre a extrema direita em seu país.

Por causa de sua atuação na luta pelos direitos humanos, recebeu várias ameaças de morte. Faleceu em 9 de novembro de 2004, aos 50 anos, vítima de um ataque cardíaco. Segundo apurado, o infarto se deu após Larsson subir sete lances de escada até seu escritório na sede da revista Expo, já que o elevador havia quebrado. Houve rumores de que sua morte foi induzida (tendo em vista as várias ameaças de extremistas contra a revista e o próprio Larsson), porém tal hipótese logo foi descartada.









Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...